Entre em contato

Ei, o que você está procurando?

Cabeçalhos de revisão ENGWE M20

ENGWE M20 em teste: Quando a e-bike encontra o ciclomotor!

atualizado por Timo Altmeyer em 24 de outubro de 2023

Com um design que lembra um pouco um ciclomotor e um potente motor de 750 watts que inspira, a ENGWE M20 posiciona-se no topo das extraordinárias e-bikes. Neste teste você descobrirá se o híbrido ciclomotor-e-bike conseguiu me convencer na prática.

8.5
Nossa classificação
1099€ engwe-bikes-eu.com
Compare preços

Revisão: ENGWE M20

A estética do M20 combina energia bruta com elegância. Embora a sua aparência robusta lembre a de um ciclomotor, ela ainda mantém todas as qualidades de uma e-bike tradicional. Um sistema Shimano de sete velocidades proporciona dinamismo e os pneus largos de 4 polegadas em jantes de 20 polegadas garantem estabilidade em cada viagem. A coisa toda é completada por uma suspensão dianteira e traseira com mola.

ENGWE M20 fotografado de frente

O ENGWE M20 apresenta-se com um visual extraordinário.

Mas a verdadeira obra-prima do ENGWE M20 é a sua inovadora configuração de bateria dupla. Isto torna possível usar duas baterias juntas ou independentemente. Com uma autonomia combinada de até 150 quilômetros, a M20 estabelece novos padrões no segmento de bicicletas elétricas.

ENGWE M20: desembalagem e montagem

O ENGWE M2 chegou em perfeitas condições. Isto se deve, sem dúvida, à grande quantidade de acolchoamento e à embalagem robusta típica da ENGWE. No entanto, o respeito ao meio ambiente parece diferente.

ENGWE M20 escopo completo de entrega

O conteúdo completo da entrega do ENGWE M20.

À primeira vista, pode parecer que a bicicleta está quase totalmente pré-montada, mas ainda são necessários alguns retoques antes que você possa navegar. A roda dianteira incluindo o guarda-lamas, o guiador, os pedais e o farol devem ser montados. A ferramenta necessária para isso está incluída no conteúdo da entrega, mas é aconselhável utilizar uma ferramenta própria e de maior qualidade.

É necessário trabalho manual adicional para conectar a bateria adicional opcional: primeiro o assento deve ser desparafusado. Embaixo há vários cabos que ainda precisam ser conectados. Idealmente com laços zip para manter tudo no lugar.

Manual do usuário ENGWE M20

Todas as etapas são explicadas nas instruções de montagem e operação.

Todas as etapas são explicadas claramente nas instruções fornecidas. Como alternativa às instruções, a ENGWE disponibiliza um vídeo de montagem no canal ENGWE no YouTube que mostra claramente todo o processo de montagem em menos de três minutos. Após cerca de 30 minutos, toda a montagem do ENGWE M20 está concluída.

ENGWE M20: design e recursos

A ENGWE M20 difere significativamente das e-bikes convencionais com seu design de ciclomotor e com certeza atrairá a atenção. Isso ficou claro logo no primeiro test drive, quando os olhos dos pedestres que passavam me seguiram.

Bicicleta elétrica ENGWE M20 de lado

Com este design, o ENGWE M20 chama a atenção.

A moldura é feita de alumínio 6061 robusto e está disponível em preto, branco ou verde. Em termos de tamanho, o M20 tem uns bons 167 centímetros de comprimento e 114 centímetros de altura. Pesando 42,7 quilos, incluindo a bateria, a e-bike já é bastante pesada. Se uma bateria adicional for adicionada, o peso aumenta para impressionantes 45,9 kg.

O design do assento lembra o assento de uma motocicleta e não é ajustável em altura. A haste também só pode ser ajustada na inclinação, mas não na altura. Com 1,82 metros de altura ainda consegui andar na M20, mas a bicicleta foi projetada para pessoas entre 1,50 e 1,80 metros de altura. Qualquer coisa acima disso torna-se desconfortável a longo prazo e é tudo menos ergonômico ao pedalar. A capacidade máxima de carga de 120 quilogramas também não deve ser ultrapassada.

Assento ENGWE M20

O ENGWE M20 não utiliza selim, mas sim assento alongado.

Um detalhe especial que chama a atenção são os volumosos pneus de quatro polegadas de largura da mais ou menos conhecida marca Chaoyang. Existem também guarda-lamas metálicos a condizer que deixam uma impressão sólida.

Para os demais equipamentos, a ENGWE conta com componentes que já foram utilizados em outros modelos da marca. Dois freios a disco de 160 milímetros com alavancas de freio da WUXING e um câmbio traseiro Shimano Tourney de 7 velocidades, combinado com um câmbio manual Shimano SL-TX50, merecem menção especial. Ambos são mais ou menos componentes que atendem ao seu propósito, mas estão no segmento de preço mais baixo.

Alavancas de câmbio ENGWE M20 Shimano e alavancas de freio WUXING

Para os componentes, a ENGWE conta com tarifa padrão típica.

O desempenho do motor do cubo da roda traseira é impressionante. Com potência nominal de 750 watts e potência de pico de até 1000 watts, a e-bike mostra do que é feita. No entanto, não é legal para uso rodoviário em todos os países. Na Alemanha, o ENGWE M20 só pode ser operado em propriedades privadas. ENGWE fornece um “Certificado de Conformidade” da UE em seu site Baixar disponível.

Pneus ENGWE M20 Chaoyang com motor de cubo traseiro e câmbio traseiro Shimano Tourney

Uma olhada na roda traseira do ENGWE M20.

O sistema de controle do ENGWE M20 é um controlador YL81C, que mostra a velocidade, o total de quilômetros (ODO), a distância parcial (viagem), o estado da bateria e o nível de assistência por meio de um display à esquerda do guidão. Há também interruptores para as luzes e buzina eletrônica no guidão. A empunhadura direita atua como uma manopla do acelerador em todo o seu comprimento, muito parecido com o de uma motocicleta. Pode ser desativado nas opções do controlador.

Visor LCD ENGWE M20 no guidão

O display LC é muito fácil de ler mesmo em dias ensolarados.

Outras características do ENGWE M20 incluem um cavalete lateral robusto que pode suportar facilmente o peso da bicicleta e uma luz de freio que se intensifica quando a alavanca do freio é pressionada, aumentando a segurança durante a condução.

Luz de freio ENGWE M20

A luz de freio acende em dois estágios e, portanto, é muito visível.

Dois faróis LED brilhantes que contribuem para o design do ciclomotor da e-bike são ajustáveis ​​em ângulo. Isso permite que um farol seja usado como farol baixo, enquanto o outro é usado como farol alto.

Farol LED ENGWE M20

Os dois faróis LED brilham intensamente e são ajustáveis ​​individualmente.

A característica mais interessante do ENGWE M20 é sua configuração de bateria dupla. Além da bateria de 48V 13Ah no tubo inferior, existe a opção de acoplar outra bateria de 48V 13Ah no tubo superior. Isto resulta numa impressionante capacidade total de 1.248 watts-hora, o que é suficiente para viagens longas.

Bateria ENGWE M20 no tubo inferior

Cada bateria possui sua própria chave.

O status da bateria pode ser lido diretamente na bateria com o toque de um botão. Um ponto positivo específico é a saída USB-A integrada, que permite que a bateria seja usada como banco de energia, embora o carregamento seja bastante lento. Por segurança, cada bateria pode ser trancada com sua própria chave.

Além disso, as baterias são removíveis. Basta girar a chave para a posição destravada e retirar a bateria. Como o carregamento pode levar até 10 horas, é recomendável carregar durante a noite.

A ENGWE mostra um claro desenvolvimento em termos de controle de qualidade. Em comparação direta com ENGWE EP-2 Pro, uma das primeiras e-bikes da empresa, destaca-se a qualidade de construção aprimorada da ENGWE M20.

Embora a ENGWE ainda não tenha atingido o nível de qualidade de marcas conhecidas, o progresso é claramente visível. Este é um sinal promissor e sublinha o compromisso de trazer ao mercado produtos sólidos e confiáveis.

ENGWE M20: teste prático

Vamos ao teste prático da ENGWE M20, que trata principalmente das características de pilotagem da e-bike. Para fazer isso, testei a e-bike em diferentes superfícies e declives. Ativamos a e-bike com um botão liga na parte superior do display, e podemos alterar o nível de suporte do motor com dois botões na parte inferior do display. Munido desse conhecimento, inicio meu primeiro test drive.

ENGWE M20 fotografado de lado pela frente

A bateria adicional está fixada no tubo superior e não é um obstáculo ao andar.

Assim que começo a pedalar, o motor entra em ação com um ligeiro atraso. Isto é característico das e-bikes com sensores de cadência, que reagem com menos precisão em comparação com os sensores de torque. Semelhante à partida, há um pequeno atraso antes que o motor seja desligado quando você para de pedalar.

O motor de 750 watts do ENGWE M20 revela a sua impressionante potência em subidas. A bicicleta ainda faz subidas de 20 graus com facilidade, embora a velocidade possa cair em passagens mais íngremes. Subidas íngremes são um sério desafio, apesar do suporte da bateria, e você deve estar pronto para pedalar forte.

Roda traseira ENGWE M20

Há um refletor em cada uma das rodas dianteiras e traseiras.

Sem aceleração, o ENGWE M20 mostra o seu verdadeiro potencial: atinge velocidades bem acima dos 25 km/h permitidos. Na minha pista de testes privada, consegui atingir velocidades máximas de até 40 km/h e a própria ENGWE afirma mesmo uma velocidade máxima possível de 45 km/h. Isso faz da ENGWE M20 uma e-bike que não só impressiona pela aparência, mas também pelo desempenho. Aliás, a e-bike pode ser acelerada através das configurações do controlador.

Um ponto de perigo potencial é o acelerador, que está ativado por padrão. Se você acidentalmente girar a manivela ao subir na e-bike, ela poderá disparar de forma inesperada e incontrolável. Para evitar tais incidentes, recomenda-se definir o nível de assistência para 0 após a viagem. Isso desativa completamente o motor.

Pedais e corrente ENGWE M20

Os pedais e a corrente causam uma boa impressão.

O prazer de dirigir com o ENGWE M20 é enorme. A bicicleta literalmente flutua acima do solo graças aos pneus largos. O perfil grosso proporciona aderência ideal e embora os pneus possam ser inflados até 20 PSI, recomendo nivelá-los em 11 a 12 PSI.

O ENGWE M20 lida facilmente com grandes solavancos na estrada. O garfo de suspensão e o amortecedor no triângulo traseiro oferecem conforto adicional. O amortecimento da compressão pode ser ajustado com um botão na perna direita do garfo. Totalmente aberta, o curso da suspensão é de cerca de 6 centímetros. Não é muito, mas os pneus saltitantes compensam e mantêm a experiência de direção elevada.

Garfo de suspensão ENGWE M20

A deflexão da mola pode ser ajustada usando o botão vermelho.

O desviador traseiro Shimano funcionou de forma confiável no teste e as marchas mudaram suavemente. Os freios mecânicos também fazem o trabalho, embora eu preferisse freios a disco hidráulicos. No caso de uma travagem de emergência a partir de 30 km/h, a e-bike parou de forma eficiente numa curta distância.

Ao final do nosso teste, queremos dar uma olhada na gama do ENGWE M20. Segundo o fabricante, a bateria deve permitir autonomia de até 75 quilômetros no nível de suporte mais baixo, e com bateria adicional pode até chegar a 150 quilômetros. É claro que a autonomia real depende de muitos fatores, como o terreno, o estilo de condução e a carga. E é bem sabido que as especificações do fabricante são muitas vezes baseadas em condições ideais.

ENGWE M20 fotografado de lado

E porque era tão lindo, aqui está o ENGWE M20 novamente em toda a sua glória.

No meu teste, porém, consegui percorrer cerca de 60 quilômetros antes que a bateria precisasse ser recarregada. Este é um valor respeitável que deve ser suficiente para muitas viagens diárias e viagens mais longas. O ENGWE M20 não impressiona apenas pela sua potência e velocidade, mas também pelo seu alcance prático.

Cabeçalhos de revisão ENGWE M20

ENGWE M20

8.5
Avaliação
positivo

Aparência extraordinária
Bom acabamento
pára-lamas de metal
alta tradução
Experiência de condução flutuante
Farol brilhante
Operação com bateria dupla

negativo

Assento não ajustável
Falta marcação CE
Componentes bastante baratos (WUXING, Shimano Tourney)

Conclusão

O ENGWE M20 impressiona à primeira vista pelo seu design nostálgico de ciclomotor e desempenho impressionante do motor. Oferece uma fusão bem sucedida de looks clássicos com tecnologia moderna, que certamente irá agradar aos amantes dos dois mundos.

Do lado positivo está o alto desempenho do motor, que garante valores de aceleração impressionantes. O design, que evoca memórias dos ciclomotores clássicos, é ao mesmo tempo atraente e funcional, e confere à e-bike um carácter inconfundível.

Mas também há desvantagens. Provavelmente, o ponto de crítica mais sério é a falta de aprovação da UE, razão pela qual o ENGWE M20 não pode ser conduzido em estradas normais na maioria dos países europeus. Para a maioria dos que procuram um meio de transporte diário, este pode ser um critério de exclusão crucial.

Compare preços
1.099,00€
Avatar de Timo Altmeyer

Timo é o fundador do techreviewer.de e um verdadeiro especialista em tecnologia. Dos smartphones às e-bikes, do home cinema às casas inteligentes, ele está sempre atento às últimas tendências.

comentários 2

comentários 2

  1. Sebastian Garbès

    25. Janeiro 2024 10 para: 52

    Olá, tenho uma pergunta
    Como carrego a bateria corretamente, pois não consigo encontrar nenhum relatório sobre isso? Você pode me ajudar? Devo ligar o interruptor ao carregar a bateria ou não e por que o carregador fica tão quente?

  2. Bastian

    16. 2024 18 para junho: 41

    É possível registrar a moto como scooter 45cc e assim participar legalmente do trânsito?
    Aprovação voluntária como na Spedelec anteriormente por causa da cota de GEE?

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com * marcado

Mais de ENGWE
visão global
fabricante

extensão ENGWE

Modelo

ENGWE M20

especificações

 Motor 
Tipo: sem escova
Leistung: 750W
Torque: 55 Nm
Velocidade: até 25 km/h (restrita)

 Acumulador 
Tipo: íon de lítio
Tensão: 48 V
Carga: 13Ah
Energia: 624 Wh

Alcance: 55 - 75 km
Tempo de carregamento: ~ 5 horas

 Equipamento 
Engrenagens: 7 (Shimano Tourney)
Modos de operação: Manual, Pedelec, (acelerador quando desbloqueado)

Pneu: 20 "x 4"
Freios: Freios a disco mecânicos

Computador: sim
Proteção contra respingos: Sim
Suspensão: garfo de suspensão + amortecedor

 Geral 
Material: Alumínio 6061
Capacidade de carga: 150 kg
Tamanho: 167 x 114 cm
Peso: kg 42,7